É preciso coragem para não agredir.

“Senti a necessidade de tornar-me uma guerreira pelo o espírito humano após testemunhar o que está acontecendo com as pessoas nas organizações, comunidades e nações em toda parte. Em muitos lugares, as pessoas simplesmente não se importam. Nossas grandes capacidades humanas de generosidade, carinho e criatividade são ignoradas ou negadas. E as pessoas não se lembram de suas próprias capacidades, refugiando-se em medo, agressividade e auto-proteção em resposta a estes tempos assustadores. Muitos líderes tendem para o controle e auto-interesse, e tomam decisões de curto prazo que destroem tanto o potencial humano como o futuro.”

Margareth Wheatley

Como continuar conectada de uma forma significativa e ainda assim, não conivente?

Perto do fogo

No começo de 2015 recebi um convite para me candidatar a um curso chamado “Guerreiros pelo Espírito Humano”.

A tradição do guerreiro é encontrada em muitas culturas, com foco em qualquer defesa ou serviço pacífico. Em tibetano, a palavra para guerreiro, Pawo, significa aquele que é valente, corajoso o suficiente para nunca mais recorrer à agressão ou medo para realizar seus propósitos.

Para Margareth Wheatley, idealizadora do curso, “um guerreiro é simplesmente um ser humano decente que aspira estar a serviço em uma época desumana e indecente. Queremos estar de serviço sem aumentar a confusão, agressão e medo agora tão prevalente, por isso, é necessário treinar-nos bem e da forma como uma comunidade forte, solidária. Através da disciplina e dedicação, nós desenvolvemos a nossa confiança, meios hábeis e compaixão. Nós aprendemos a ver claramente sobre a natureza da realidade, e praticar com perseverança entusiasmada para cultivar a nossa própria vigília. Os guerreiros não deixam a cena. Nosso compromisso é manter-nos engajados com quem está no poder, para trabalhar dentro de nossas comunidades e em nossas famílias. Estamos empenhados em agir de forma a tornar possível para as pessoas a experimentação do seu potencial humano. Aspiramos a ser uma presença compassiva , nas circunstâncias mais difíceis.”

Para mim,aspirante a participante, um guerreiro pelo espírito humano é alguém cujas ações ou silêncio dizem “basta”; é uma qualidade de presença que tem a força e pureza de observar, abraçar e transmutar tudo o que desonra a criação e vida. Ele é o guardião indefectível de uma ponte invisível entre dois mundos: aquele que criamos até agora, e aquele para o qual nós fomos feitos. O guerreiro também reside no fundo de cada alma que cruzar essa ponte, e quando a última alma olha para trás, ele se revela como a própria ponte.

Cada treinamento será conduzido por Margareth Wheatley e professores convidados. Haverá três encontros intensivos  na Schumacher Colllege, Ingalterra, em intervalos de aproximadamente seis meses, com conexões robustas nos intervalos, incluindo conversas baseadas na web. O ciclo de três Treinos será feito como um time de até 36 pessoas provenientes de 20 países.

Eu, Darlene Coelho, sou uma brasileira aprovada para pertencer a este time, e preciso da sua ajuda para chegar lá!

Mas, afinal, sobre o que é esta página?

Este site é uma janela de diálogo com todos aqueles que, de alguma forma, sentem-se também Guerreiros pelo Espírito Humano, e queiram entender melhor o processo para me ajudar a chegar lá. Saiba que você também pode fazer parte desta nova e emocionante jornada! Navegue por estas páginas, conheça minha história e meu propósito, e decida se e como você quer contribuir para este desafio. Desde já, agradeço por sua leitura atenta , seu apoio , sua Presença!

Conheça o projeto de Darlene Coelho – Guerreiros pelo Espírito Humano

Veja meus últimos posts

Não duvido, logo, existo.

Não duvido, logo, existo.

  Inspiro, deliciada, cada vez que me convidam para conversar. Hoje tive, mais uma vez, a alegria de ser convidada para o que venho chamando de “cafés existenciais”, este momento simples, despretensioso, em que alguém, por uma razão que sempre me escapa,... ler mais

Slogan Final

O último slogan, IT´S NOT BIG DEAL, EITHER WAY,  não tem tradução literal. Ele é o arremate de todos os slogans anteriores, o último exercício do Guerreiro: mesmo que você tenha clareza, sabedoria, desapego e compaixão suficiente para ser gentil consigo, sabendo que... ler mais
Não espere por aplausos

Não espere por aplausos

Don´t wait for applauses. Nesta semana, testemunhamos o quanto a opinião pública pode influenciar a manifestação da essência de uma pessoa. Histórias de campeões olímpicos, os melhores em sua categoria em nível mundial, sucumbindo à mais profunda depressão após... ler mais
Por trás da gentileza, sempre há a confiança.

Por trás da gentileza, sempre há a confiança.

Behind kindness is always trust. Este slogan está relacionado a uma estratégia trágica muito comum, que é a de reagirmos com violência quando nos sentimos confrontados. A membrana entre ser agressivo ou assertivo, contundente ou desagradável, arrogante ou confiante... ler mais
Volte, de novo e de novo.

Volte, de novo e de novo.

Come back. Again, and again. Acabo de ser pega no contrapé deste slogan. Uma das premissas que ajudam a construir um círculo de confiança , ou uma comunidade de convivência sólida (no caso, uma comunidade de guerreiros), é garantir ao grupo que nada do que for dito... ler mais
Não conserte, não evite, apenas esteja presente.

Não conserte, não evite, apenas esteja presente.

Don´t fix. Don´t avoid. Just be present. Muito difícil, esta proposta. Desde que nos perguntaram “o que você quer ser quando crescer?” cultivamos a idéia de que estamos inacabados. Se ainda não sabemos o que fazer, significa que não somos. Angustiante paradoxo, uma... ler mais
Saboreie a incerteza

Saboreie a incerteza

Saboreie a incerteza. Não estamos acostumados a celebrar o não-saber. Somos, frequentemente, alertados para não transparecer a dúvida, e se fizermos perguntas, que sejam inteligentes – a velha contradição acadêmica entre a humildade que antecede o aprendizado e a... ler mais
Primeiro, seja gentil consigo

Primeiro, seja gentil consigo

A frase em inglês é “First, be friendly to yourself”. Esta prática é importante porque, em nosso dia-a-dia, surgem inúmeras situações nas quais alimentamos frustração e decepção relacionadas ao cuidado e dedicação que dispensamos às outras pessoas, a um... ler mais

Entre em contato comigo

Faça parte de nosso projeto

Faça parte de nosso projeto

Junte-se àqueles que buscam um mundo mais vivo.

Obrigada! Sua mensagem foi enviada com sucesso.

Share This